Compartilhe!
Share on Facebook12Share on Google+3Tweet about this on Twitter2Share on LinkedIn2Pin on Pinterest1

Uma pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência em 2012 indica que o Brasil contava já naquela época com mais de 9,5 milhões de leitores de eBooks. De olho neste mercado promissor, empresas e autores independetes apostam nos livros eletrônicos como ferramenta de marketing digital.  O objetivo é atrair clientes, parceiros e ser conhecido como referência e autoridade no mercado em que atua.

Por outro lado, alguns autores que não conseguiram entrar pela “porta da frente” nas grandes editoras, se decidiram pela autopublicação e conseguiram resultados surpreendentes sozinhos.

Vamos ver agora algumas táticas de empresas e autores que encontraram o caminho do sucesso bancando os próprios livros e eBooks.

 

Talk2

A Talk2, marca do DOT Digital Group, depois de longo planejamento, publicou seu primeiro eBook em agosto de 2013. Desde então, foram cinco livros publicados e cerca de 4 mil donwloads.

A internet mudou o comportamento das pessoas e a maneira como as empresas se relacionam com seu público — observa Luis Fernando Palermo, diretor de criação da Talk2.

O conteúdo, que é o maior desafio, é focado na estratégia digital, área de atuação da empresa.

 

Nexxera

O Grupo de Florianópolis, lançou em 2013 seu primeiro livro eletrônico com dicas para pagamento móvel em empresas. A diretora de marketing da empresa, Sarah Silva, explica que a primeira estratégia do grupo foi o blog com assuntos de tecnologia, mas os eBooks têm um poder maior de viralização.

 

Resultados Digitais

Para Eric Santos, CEO da RD, a utilização de eBooks como estratégia de marketing digital é mais do que uma tendência.

As empresas vão investir mais nessa estratégia ao tomarem conhecimento do impulso que a publicação representa no retorno sobre o investimento — avalia.

 

Arthur Agatston

Autor do livro “A Dieta de South Beach”, começou publicando folhetinhos com algumas de suas dietas. Aos poucos as pessoas foram falando sobre os panfletos e eles acabaram nas mãos do produtor de uma pequena TV local, que o convidou para uma entrevista. Devido à grande aceitação do público, a emissora ofereceu a ele um programa diário sobre dietas. Depois, muitos supermercados solicitaram que ele fizesse receitas de refeições baseadas em sua dieta e não faltaram editoras para o seu livro.

 

Ringo Starr

O ex-beatle lançou um eBook com fotos inéditas dos Beatles no auge da carreira da banda. O baterista selecionou fotos de seu próprio acervo pessoal para o projeto, que foi lançado em junho de 2013. Photograph é comercializado pela iBookstore da Apple e o lançamento coincidiu com uma exposição no museu do Grammy em homenagem a Ringo Starr, chamada Ringo: Peace & Love.

O livro tem fotos de toda a vida do ex-beatle, desde a infância em Liverpool a fotos mostrando a ascensão do Fab Four, na estrada. Existem ainda imagens de bastidores do dia a dia da banda.

Vídeos complementares de comentários foram gravados pelo músico, e uma edição física limitada assinada por ele também foi lançada em dezembro.

 

José Dornelas

Escreveu o primeiro livro sobre empreendedorismo em 2001. Hoje, tem 17 volumes com seu nome na capa. Ele diz que ainda existem mais algumas publicações para sair.

“Empreendedorismo – Transformando ideias em negócios” teve cerca de 200 mil exemplares vendidos. Esse não é um mercado de livraria. Os livros são adotados em faculdades, não ficam expostos.
Em seus textos, Dornelas ensina como gerenciar uma empresa no dia a dia (como fazer o plano de negócios, como buscar financiamentos, questões legais referentes a criar uma empresa etc.).

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, ele afirma que o sucesso nas vendas se deu, em parte, porque na época do primeiro livro dele, em 2001, não havia nada no mercado editorial brasileiro que atendesse quem quisesse esse tipo de orientação.

Para chegar ao número de 17, ele publicou livros sobre o assunto em diferentes formas: “Empreenda (Quase) Sem Dinheiro”, “Ganhe Dinheiro na Internet”, “Empreenda Antes dos 30”, “Empreenda nos Finais de Semana (E Fique Rico)” etc.

 

Fernando Dolabela

Estreou nas livrarias em 1999, conta atualmente com 11 títulos e mais “cinco na gaveta”. O primeiro, “O Segredo de Luísa”, vendeu 300 mil cópias. O livro conta a história fictícia de uma estudante de odontologia que quer virar empresária do ramo de goiabada cascão.

O livro o faz ser convidado a se apresentar em palestras pelo interior do Brasil.

 

Paulo Coelho

Os críticos sempre torcem o nariz para a literatura de Paulo Coelho, mas nenhum deles pode negar a genialidade do autor, quando o assunto é marketing.

Ele sabe aproveitar como ninguém aquilo que, para muitos, é só prejuízo.

“O Pirata Coelho”, como ele mesmo se intitulou, é um dos autores mais pirateados no mundo e um dos primeiros a se “auto-piratear” em livro digital.

A estratégia deu certo em vários lugares, como na Rússia, por exemplo, onde ele alavancou as vendas de suas edições impressas após disponibilizar o eBook de graça.

 

J.K. Rowling

A autora da série “Harry Potter” era professora e sonhava com a profissão de escritora. O manuscrito de “Harry Potter a Pedra Filosofal” foi recusado por várias editoras até que em 1996, a Editora Bloomsbury decidiu publicar o livro depois de muita insistência da prórpia secretária do editor chefe.

Harry Potter chegou a ser jogado no lixo, mas a secretária do editor pegou o manuscrito, levou pra casa, leu e disse para o editor que se ele não publicasse aquele livro, ela mesma abriria uma editora e o publicaria.

O sucesso da série transformou a professora numa mulher riquíssima quase da noite para o dia. Em 2013, J. K. Rowling entrou na lista de bilionários da revista americana Forbes, com uma fortuna estimada em 1 bilhão de dólares.

A escritora já é mais rica do que a rainha Elizabeth II, que, segundo a Forbes, tem uma fortuna pessoal de 660 milhões de dólares (sem contar os palácios e outras propriedades, considerados patrimônio do povo britânico).

O êxito se repetiu no cinema. Os filmes baseados nos dois primeiros livros arrecadaram 1,8 bilhão de dólares. O terceiro filme, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, lançado no Brasil em 2013, também já é um sucesso.
A conta bancária de J. K. Rowling engorda ainda mais com os royalties pela venda de diversos produtos baseados em Harry Potter, de brinquedos a videogames, totalizando de cerca de 75 itens.

 

E.L. James

Erika Leonard é uma executiva da televisão britânica, que sob o pseudônimo de E L James, criou a trilogia “Fifty Shades” (Cinquenta Tons de Cinza). Casada com um roteirista, a autora é mãe de dois filhos adolescentes.
Primeiro, ela surgiu na internet, de forma independente. A arrancada foi na base do boca a boca. Não houve campanhas de publicidade. Depois, o enorme sucesso a empurrou para o papel. Agora, ela vai também para o cinema: a Universal comprou os direitos.

Inicialmente, a autora – sob o usuário “Snowqueens Icedragon” – escrevia fanfictions online, sendo o seu trabalho mais notável uma fanfiction sobre a saga Crepúsculo, denominada “Master of the Universe”.

À medida que o conteúdo da historia foi ficando cada vez mais erótico, Erika decidiu mudar os nomes dos personagens – inicialmente Bella e Edward – e publicar a história em um site próprio. Segundo a autora, a trilogia foi o resultado de sua crise de meia idade.

“Todas as minhas fantasias estão ali [no livro]”, confessa Erika.

A consagração veio há pouco, quando ela apareceu no topo da lista dos best sellers do NY Times, na soma de livros de papel e livros eletrônicos.
James conquistou milhares de mulheres – o grosso de seu público – com o erotismo feminino. O sexo é farto em sua obra. É fácil de consumir. É como se você estivesse vendo um filme de Hollwood, acompanhado de um saco de pipocas.

 

David Mamet

Quando em 2011 o premiado escritor e dramaturgo David Mamet lançou “The Secret Knowledge: On the Dismantling of American Culture” [O conhecimento secreto: sobre o desmanche da cultura americana], pela editora Sentinel, a obra chegou à lista de best sellers do “New York Times”.

Neste ano, ao preparar o lançamento de um novo livro que reúne uma novela e dois contos sobre a guerra, Mamet optou por um caminho muito diferente: decidiu que irá se autopublicar. Ele está aproveitando um novo serviço oferecido por sua agência literária, a ICM Partners, como forma de ter mais controle sobre a promoção do seu livro. Mamet, por sua vez, disse ter fé nas vendas do seu novo livro, mesmo sem uma editora tradicional.

“Vou promovê-lo de forma infernal”, afirmou, “embora eu provavelmente também vá cometer meus próprios erros”.

 

Stephen King

Conhecido pela autoria de livros de terror e suspense que mais tarde foram adaptados para as telonas – “Carrie, a Estranha” e “O Iluminado” foram alguns deles -, Stephen King mudou de estratégia quanto ao lançamento de suas novas obras. O americano foi um dos primeiros grandes autores a apoiar a publicação de eBooks.

Em 2000, King havia optado por fazer o movimento contrário do que todos os outros autores estavam fazendo. Na época, ele lançou o título “Riding the Bullet” (Montado na Bala) apenas em formato digital, com os capítulos sendo liberados pela internet (mais tarde, o livro também viraria filme).

 

Amanda Hocking

Após nove anos tentando vender seu trabalho para editoras, decidiu atuar de forma independente com uma série de livros sobre auto ajuda e faturou mais de US$1 milhão em vendas.
Posteriormente fechou um contrato milionário com a grande editora St. Martin’s Press para futuras publicações.

Dê seu voto
Compartilhe!
Share on Facebook12Share on Google+3Tweet about this on Twitter2Share on LinkedIn2Pin on Pinterest1
eBook grátis Como transformar ideias em livros de sucesso