Compartilhe!
Share on Facebook5Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Pin on Pinterest0

Pesquisa da GfK mostra as tendências do setor do livro em 2012

A GfK apresentou ontem, em sua conferência sobre tecnologia e entretenimento, dados sobre o varejo de livros no Brasil em 2012.

Uma primeira análise do panorama internacional mostrou que os preços dos livros brasileiros estão alinhados com os dos países europeus, apesar de ligeiramente maiores nos setores infantil e não ficção. A diferença é que o Brasil possui uma renda per capita média inferior a dos países europeus, o livro é portanto relativamente mais caro aqui. Por outro lado, a tendência do varejo europeu é de queda em todos os países, exceto Suíça. As vendas por unidades chegaram a cair 14% na Espanha, entre 2011 e 2012, e entre 2 e 7 % nos demais países listados (Alemanha, França, Itália, Portugal, Holanda, Áustria), no mesmo período.

No Brasil, os dados do Instituto Pró Livro mostram que cerca de metade da população de 190 milhões (IBGE), é leitora. O resultado é negativo do ponto de vista social, mas representa grande potencial de mercado. O aumento da classe C, em paralelo à redução do analfabetismo, continuará sendo o motor do consumo de livros no Brasil. A classe C deve atingir 113 milhões de habitantes em 2014, mais 31 milhões da classe A\B.

Sobre o consumo de livros no Brasil, a pesquisa da GfK destaca primeiramente a pouca variação sazonal das vendas. Há no entanto uma alta na compra de títulos estrangeiros em dezembro, fazendo com que o último trimestre represente 30% das vendas de todo o ano, em volume. O segundo período mais importante é o primeiro trimestre do ano, com 26% do total de vendas do ano, influenciado pelas vendas de títulos didáticos e CTP das compras escolares. O 2º e 3º trimestres representam 21 e 23% das vendas, respectivamente.

De um modo geral, o varejo de livro no Brasil possui cauda longa: em 2012, os dez livros mais vendidos, segundo o ranking da GfK, representaram apenas 7% das vendas, em volume, e os Top 20, apenas 9%.

A literatura estrangeira foi a que mais cresceu em 2012, vendo um aumento mais expressivo a partir de outubro, empurrado pelo fenômeno editorial Fifty shades. No fim do ano chegou a representar 31,2% do varejo, em unidades, enquanto em 2011 era 22%. Outra característica do gênero é a faixa de preço mais elevada: 47% dos títulos estão entre R$ 30 e R$ 50, e 14% acima de R$50.

Em 2012, os títulos religiosos ganharam força, chegando a representar 10,1% das vendas do varejo no Dia das Mães (em unidades), e fechando o ano em torno de 7% do mercado. O ranking da GfK destaca os dois títulos do padre Marcelo Rossi, Ágape e Agapinho, entre os dez mais vendidos. De fato, o peso dos bestsellers é significativo para o gênero: os dez livros religiosos mais vendidos representam 32% do setor. É também o setor com os livros mais baratos: 74% dos livros saem por até R$ 40, sendo que 44% dos títulos são vendidos por até R$ 20.

As biografias também ganharam importância em 2012. A análise da GfK mostrou como o lançamento de um único título acabou influenciando as vendas de todo um gênero. Trata-se, claro, da biografia de Edir Macedo, que ficou em 3º lugar no ranking anual da GfK. Em outubro, o setor chegou a representar 8,1% das vendas do varejo, terminando o ano em 4,3% (em 2011 era 4%). Aqui também os bestsellers têm peso: as top 10 biografias representaram 40% das vendas do gênero em 2012.

O setor de livros infantis e juvenis é o que mais varia com as datas comemorativas, atingindo picos de 19,4% nas férias de julho e dia das crianças, e de 19,5% no natal. Os bestsellers porém não têm tanto peso no setor: os top 30 livros mais vendidos do gênero representam apenas 16% do setor. Apesar da maior pluralidade de títulos, o setor carrega grandes franquias. As 3 principais representam 8,8% da vendas do setor.

A literatura brasileira não possui variações de venda ao longo do ano, mas cresceu de forma persistente em 2012, passando de 3,6% do varejo em janeiro à 4,4% no final do ano (em 2011 o setor fechou em 4%). São os livros mais baratos, apenas 5% dos títulos estão acima de R$ 50, sendo que quase um terço, 29%, é mais barato que R$ 20.

 

Fonte: Iona Teixeira Stevens | PublishNews

 

 

 

O varejo brasileiro do livro em 2012
Dê seu voto
Compartilhe!
Share on Facebook5Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Pin on Pinterest0
eBook grátis Como transformar ideias em livros de sucesso