Compartilhe!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter4Share on LinkedIn0Pin on Pinterest0

Romantismo no Brasil começou a surgir no início do século XIX. Nessa época, a nação passava por diversos momentos importantes: a chegada da família real portuguesa, o processo de independência – vários marcos históricos fizeram com o que o Brasil se desenvolvesse como nação. Bancos, bibliotecas, indústrias e também a arte foram importados da Europa para o novo continente. Além disso, assim como nos países europeus, a burguesia brasileira começava a ascender. Era um momento de transição tanto política, quanto social e artística.

A primeira obra genuinamente romântica e brasileira foi publicada em 1836, chamada “Suspiros Poéticos e Saudades”, de Gonçalves Magalhães. O autor, após voltar de uma viagem à Europa, decidiu escrever seu próprio trabalho baseando-se no que ele viu durante a sua viagem, inspirado na literatura europeia. Apesar de possuir diversas características românticas, essa obra não se encaixava em nenhuma das três gerações do Romantismo. Essas fases do movimento romântico no Brasil foram importantes para a história da literatura brasileira e cada uma delas possui características bem diferentes.

A primeira geração do Romantismo no Brasil era chamada de nacionalista-indianista. Altamente influenciada pelo sentimento patriota em que se encontravam os brasileiros, a primeira geração exaltava anação, a natureza e os índios. O povo indígena era idealizado, mostrando a pureza dos antepassados dos brasileiros e vendo-os como verdadeiros heróis, já que não haviam sido corrompidos pela cidade e pelo dinheiro. Porém, mesmo com temas nacionalistas e indianistas, havia uma grande influência sentimental e egocêntrica, ou seja, características românticas, em todas as obras da geração. Além disso, a linguagem utilizada ainda possuía resquícios do neoclassicismo. Os principais autores foram Gonçalves Magalhães,Gonçalves Dias (autor de uma das poesias mais conhecidas, “Canção do Exílio”, em que ele exalta a beleza natural do Brasil) e Araújo Porto Alegre.

Já a segunda geração do Romantismo, conhecida também como “mal do século”, ou ultrarromantismo, possuía características muito diferentes da primeira. Ao contrário dos autores nacionalistas, os escritores da segunda geração não tinham nenhum engajamento social ou político. Todas as obras eram centradas no “eu” – sentimentos, dilemas, medos, amores e decepções dos autores. Os principais temas eram a morte, amores impossíveis e o tédio. Inspirados em Byrion, os escritores da época sofriam de uma grande angústia e vontade de morrer. Os maiores nomes desse movimento foram Álvares de Azevedo, Fagundes Varela e Casimiro de Abreu. Grande parte dos escritores dessa época morreu ainda jovem.

Conhecida como condoreira, a terceira geração do Romantismo no Brasil simbolizava o Condor, ave que construía seus ninhos em locais muito altos e, por isso, tinha uma ampla visão de tudo ao seu redor. Enquanto a primeira geração era ufanista e a segunda focava nos dilemas do ser humano, a terceira tinha um enorme engajamento social. Os autores da época criaram poesias e obras sociais, em que condenavam a escravidão, a pobreza, ignorância do povo e pobreza. Os principais representantes foramCastro Alves (reconhecido como “Poeta dos Escravos”, autor de “Espumas Flutuantes” e “Navio Negreiro”, dois poemas muito conhecidos), Sousândrade e Tobias Barreto.

A última geração foi a transição entre o romantismo e o realismo, movimento literário que iria surgir no Brasil alguns anos depois. Porém, é importante lembrar que essas fases são da poesia, já que a prosa do romantismo brasileiro foi divida em indianista, regional e urbano. Obras indianistas, assim como a poesia, contavam as histórias de índios inocentes e puros, que realizavam grandes atos de heroísmo. Os romances regionais poderiam abordar diversos temas, mas o destaque era o local em que elas se passavam. Poderia ser no Nordeste, como o livro “Inocência”, de Visconde de Tuanay, por exemplo. Já o romance urbano contava histórias de burgueses, principalmente, que moravam nos centros urbanos.

José de Alencar é considerado um dos autores românticos mais importantes da história do Brasil, e suas obras foram quase que exclusivamente prosas que se dividiam entre os três tipos de romances românticos do Brasil. Que tal ler as principais obras do Romantismo brasileiro? Confira algumas das maiores obras e baixe-as gratuitamente:

 

/// ATENÇÃO /// Para acessar os eBooks e baixá-los, compartilhe através de uma das redes sociais abaixo.

 

Baixe grátis obras do romantismo brasileiro e entenda o movimento literário
1 (20%) 1 voto
Compartilhe!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter4Share on LinkedIn0Pin on Pinterest0
eBook grátis Como transformar ideias em livros de sucesso