Brasileiros devem gastar R$ 9 bilhões com livros e publicações neste ano

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Os brasileiros devem gastar R$ 9,32 bilhões em livros e publicações impressas até o fim deste ano, segundo dados do Pyxis Consumo, ferramenta de dimensionamento de mercado do IBOPE Inteligência. De acordo com o índice de preços ao consumidor (IPCA), de janeiro a julho deste ano o peso desses itens no consumo das famílias caiu 1,5% se comparado com o mesmo período de 2013.
Em relação ao potencial de consumo estimado para 2014, a maior demanda vem da classe B, que corresponde a 27% dos domicílios do país e a metade dos gastos nacionais: R$ 4,66 bilhões. A classe C aparece na sequência, com um consumo estimado em R$ 2,41 bilhões, o que representa 26% do total que será consumido no Brasil.
O Sudeste será responsável pela maior parte do consumo (54% ou R$ 4,95 bilhões). As regiões Nordeste e Sul aparecem em seguida, com 17% e 16%, respectivamente. Considerando o gasto por habitante, a estimativa é que cada morador do Sudeste gaste R$ 63,31 com livros e publicações impressas. No Sul, o valor é de R$ 60,86 e no Nordeste, R$ 38,12. O Centro-Oeste, apesar de ter um consumo estimado em apenas 9% do total do país, deve ter um gasto per capita de R$ 60,15.
Na análise por classe e região, a classe B do Sudeste é a que apresenta o maior potencial de consumo desses produtos, com gasto estimado em R$ 2,54 bilhões. A classe C, também do Sudeste, é a segunda que mais comprará livros e publicações impressas, chegando ao valor de R$ 1,24 bilhão.
No estado de São Paulo, onde ocorre a 23ª Bienal Internacional do Livro, até 31 de agosto, o consumo de livros e publicações impressas em 2014 deve somar R$ 2,52 bilhões, metade de todo o consumo previsto para a região Sudeste. A classe B é a que mais vai gastar com esses produtos: R$ 1,38 bilhão, o que representa 55% do total do estado. Na sequência aparece a classe C, com gasto estimado em R$ 548,97 milhões (22% do total).
O potencial de consumo refere-se apenas ao consumo domiciliar, ou seja, às compras de pessoa física junto a varejistas do ramo e inclui a aquisição de jornal, revista, livro e publicações técnicas.
 
Publicado originalmente na Agência IN

Como foi sua experiência?

Receba nossos melhores conteúdos sobre lançamento.