Eleanor Catton, de 28 anos, é a autora mais jovem a vencer o Booker Prize

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Neozelandesa tinha 25 anos quando começou a escrever ‘The luminaries’, cuja edição original tem 832 página
RIO – Eleanor Catton é a mais jovem autora a conquistar Man Booker Prize de ficção. A escritora neozelandesa de 28 anos foi contemplada na 45ª edição do prestigioso prêmio literário por seu “The luminaries”, publicado pela Granta. A vitória também marca a primeira vez em que uma editora independente teve seu livro laureado na premiação. O anúncio foi feito nesta terça-feira.
Eleanor, cujo livro premiado será lançado no Brasil em 2014 pela Globo Livros, foi presenteada com um troféu e um cheque de £ 50 mil. Esta é a segunda vez que um escritor da Nova Zelândia vence o Booker Prize, dedicado à produção da comunidade britânica – e que a partir de 2014 será estendido a qualquer obra publicada originalmente em língua inglesa no Reino Unido.
“The luminaries”, cuja edição original tem 832 páginas, é o segundo romance de Eleanor. Seu “O ensaio”, foi lançado no Brasil pela editora Record em 2012. Robert MacFarlane, presidente do júri, apresentou o prêmio e disse que o livro é “um magnífico romance: impressionante em sua complexidade estrutural, viciante em sua narração de histórias e mágico em sua conjuração de um mundo de ganância e ouro”.
Passado na Nova Zelândia do século XIX, em plena corrida do ouro, o livro é aparentemente uma clássica novela vitoriana, com histórias de assassinato, conspiração e mulheres fracassadas. Abaixo da superfície, porém, foi classificado como uma história “muito mais complexa, estruturada de acordo com mapas astrológicos, que questiona o destino, o caráter e a personalidade de seus personagens”, disseram os jurados.
Ainda de acordo com os que participaram da votação, a lista de finalistas desta edição do Booker Prize foi descrita como a “melhor que se tem memória”. Já “The luminaries” foi considerado “simplesmente luminosa, um romance artesanal de arco e de coração terno”.
Eleanor recebe a faixa de Hilary Mantel, duas vezes premiada (com “Wolf hall – Um romance na era Tudor”, em 2009, e com “O livro de Henrique”, em 2012). O autor mais jovem a ser laureado anteriomente foi Ben Okri, que tinha 32 anos quando ganhou a estatueta pelo seu “The famished road”, em 1991. A mulher mais jovem a vencer o prêmio, até então, foi Kiran Desai, coroada aos 35 por seu “O legado da perda”, em 2006.
 
Publicado originalmente no O Globo

Como foi sua experiência?

Receba nossos melhores conteúdos sobre lançamento.